Alimentos Afro-brasileiros.


A vinda dos africanos não significou somente a inclusão de formas de preparo e ingredientes na dieta colonial. Representou também a transformação da sua própria culinária. Muitos pratos afro-brasileiros habitam até hoje o continente africano, assim como vários pratos africanos reinventados com o uso de ingredientes do Brasil, como a mandioca, também fizeram o caminho de volta.

Sem duvidas, as grandes matrizes da diversa e variada cozinha brasileira está em um Portugal ampliado com a África, com o Oriente e com as centenas de culturas indígenas. No que se refere aos ingredientes africanos que vieram para o Brasil durante a colonização, trazidos pelos traficantes de escravos e comerciantes, esses constituem hoje importantes elementos da cultura brasileira. Seu consumo é popular e sua imagem constitui parcela importante dos ícones do imaginário do país.

Pode-se caracterizar a cozinha de herança africana no Brasil como adaptativa, criativa e legitimadora de muitos produtos africanos e não africanos que foram incluídos regionais e em outros de presença nacional. O nosso tão celebrado coco-verde vem da índia, passando antes pela África Oriental, África Ocidental, Cabo Verde e Guiné para então fixar-se no Nordeste brasileiro.

Vieram da África, entre outros, o cocô, a banana, o café, a pimenta malagueta e o azeite-de-dendê. Sobre este, dizia Camara Cascudo: “O azeite-de-dendê acompanhou o negro como o arroz ao asiático e o doce ao árabe”. O dendezeiro é uma palmeira de origem africana, e de sua polpa se extrai o azeite que dá a cor, o sabor e o aroma de tantas receitas deliciosas como o caruru, o vatapá e o acarajé.

Das delicias da África Brasileira todos já pudemos degustar.

Quem não se demorou em torno a um fogão quente de arroz doce ou de pé de moleque aguardando a rapa do tacho, ou não esperou impaciente que a pamonha estivesse cozida ou a batata doce de São João cheirando por entre as brasas?

Hoje em dia, os pratos e os temperos da cozinha negra fazem parte da nossa alimentação. São saboreados no dia-a-dia e também nas festas populares. Os caldos, extraídos dos alimentos assados, misturados com farinha de mandioca (o pirão) – já conhecido pelos índios – ou com farinha de milho (o angu), são uma herança dos africanos. Podemos lembrar que da África também vieram ingredientes tão importantes como o coco e o café.

A popular pamonha de milho, por sua vez, origina-se de um prato africano, o acaçá.

Não se pode deixar de mencionar um dos pratos afrobrasileiros favoritos do país: a feijoada, que também se originou nas senzalas. Os negros recebiam todas as sobras de alimentos dos donos das fazendas e faziam a mistura com o feijão, resultando em um alimento de grande consistência. O prato se tornou tradicional na cultura afro-brasileira e hoje faz parte de muitas festas. O prato leva como principais ingredientes carne defumada e de porco, couve e farofa.

Doces de frutas como banana, jaca e laranja eram feitos na Serra da Barriga, antigo Quilombo dos Palmares.

Os vegetais ocupam um papel importante na culinária africana, sendo a principal fonte de vitaminas e fazendo parte de vários pratos constituídos de milho, mandioca, inhame e feijão. Esses vegetais também fornecem fonte secundária de proteínas. Em geral, folhas verdes e hastes jovens são coletadas, lavadas, cortadas e preparadas no vapor ou fervidas em combinação com especiarias e outros vegetais como cebola e tomate.

Os temperos utilizados na comida afro-brasileira são o açafrão, o óleo de dendê e o leite de coco. O cuscuz já era conhecido na África antes da chegada dos portugueses ao Brasil, e tem origem no norte da África. No Brasil, o cuscuz é consumido doce, feito com leite e leite de coco, a não ser o cuscuz paulista, consumido com ovos cozidos, cebola, alho, cheiro-verde e outros legumes. O leite de coco é usado para regar peixes, mariscos, arroz-de-coco, cuscuz, mungunzá e outras iguarias.

A cozinha negra fez valer os seus temperos, os verdes, a sua maneira de cozinhar. Modificou os pratos portugueses, substituindo ingredientes; fez a mesma coisa com os pratos da terra; e finalmente criou a cozinha brasileira, descobrindo o chuchu com camarão, ensinando a fazer pratos com camarão seco e a usar as panelas de barro e a colher de pau.

Manifestação Cultural

O candomblé tem uma relação muito especial com a comida. Os devotos servem para os santos comida que pertencem à tradição africana. Como as comunidades negras se espalharam pelo Brasil, a culinária que veio da África se espalhou por todo o país.

Olubajé: o banquete sagrado dos orixás“. Olubajé é um ritual onde são servidos alimentos da religiosidade afro.É também dedicado ao orixá Obaluaiê, o senhor da Terra. A cerimônia é indispensável nos terreiros de candomblé, prolongando a vida, e trazendo saúde a todos os filhos e participantes do axé.

Festa de São Cosme e Damião: A festa é caseira, mas farta. Todos os anos, no mês de setembro, ela acontece em milhares de lares baianos. Difícil imaginar uma mais sincrética. O “Caruru de São Cosme e São Damião” homenageia os santos gêmeos da igreja católica, os Ibêjis do candomblé e também as crianças. Tudo precisa ser feito no mesmo dia: caruru, xinxim de galinha, vatapá, arroz, milho branco, feijão fradinho, feijão preto, farofa, acarajé, abará, banana-da-terra frita e os roletes de cana. A dimensão da oferenda é medida pela quantidade de quiabos do caruru. Cada um faz como pode: mil, três mil ou até 10 mil quiabos. Quando a comida fica pronta, coloca-se uma pequena porção nas vasilhas de barro aos pés das imagens dos santos, ao lado das velas, balas e água. Depois, serve-se o caruru a sete meninos com, no máximo, 7 anos cada. Eles comem juntos, com as mãos, numa grande gamela de barro ou bacia. Só então é a vez dos convidados participarem da celebração.

A história da devoção a São Cosme e São Damião é antiga e atravessa continentes. Na Bahia, a fé nos santos irmãos ganhou importância principalmente pelo sincretismo com Ibeji, o orixá duplo dos nagôs, que representa os gêmeos. Alguns usam só quiabo, cebola, sal, camarão e azeite de dendê. Outros acrescentam castanha, amendoim, pimentão e tomate. Nutricionalmente, o caruru é um prato rico em ferro proveniente do quiabo e o dendê fornece vitamina A pela presença do betacaroteno, bom para a pele e para os olhos. Já com as castanhas e o amendoim, o prato é fonte de proteínas e gorduras insaturadas.

 

Alimentos e Rótulos Nutricionais:

Uma dieta equilibrada para uma pessoa adulta consiste em 2000Kcal onde é necessário por dia o consumo de cerca de:

300g de carboidratos;

75g de proteínas;

55g de gorduras totais (insaturadas);

22 g de gorduras saturadas;

25 g de fibras;

2,4 g de sódio.

A porcentagem do valor diário(%VD) é determinada a partir da relação percentual entre a quantidade do nutriente presente em uma determinada porção de alimento e os valores diários de referência de nutrientes(VDR), estabelecidos em conjunto pela organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação e Organização Mundial da Saúde(FAO/OMS,2003), que são:

2.000 kcal de valor energético;

300g de carboidratos;

55g de gorduras totais;

22g de gorduras saturadas;

25g de fibra alimentar.

A quantidade do valor energético é calculada a partir da composição da porção do alimento, empregando-se os seguintes fatores de conversão:

9 kcal/g de gorduras;

7 kcal/g de etanol;

4 kcal/g de carboidratos (exceto polióis) e proteínas;

3 kcal/g de ácidos orgânicos;

2,4 kcal/g de polióis;

1 kcal/g de polidextroses.

Referências:

Acessos no dia 20/07/11.

  1. Atlas Afro-Brasileiro Cultura Popular (Raul Lody)
  2. http://capoeiralencodeseda.org.br/arquivos/atividades-ong/culinaria-afro-brasileira/
  3. http://www.bahia.com.br/node/6474.
  4. http://soteropolitanosculturaafro.wordpress.com/2010/07/24/caruru-de-cosme-e-damiao/
  5. http://www.brasilcultura.com.br/antropologia/folclore-comidas-tipicas-brasileiras/
  6. http://voltadomundo.com/capoeira/mama-africa/blog.

Publicado em: 28 de setembro de 2011 às 15:15

  1. #1 por Eli em 11/01/2012 - 09:06

    Ya te he leído en otras materias! Allá sobre cabello te he dejado una nota. Lo que veo que hace falta es una mayor publicidad de tu parte, porque estos pequeños artículos se nota que son muy bien pesquisados.

    Enhorabuena desde España!

  2. #2 por susyane raskinter em 09/08/2012 - 18:26

    gostei de ser conrespondida em minha busca de pesquisa ,que permanecem com toda delicadeza e super cencia de educação e conrespond^Çencia diantes das pessoas ..obrigado e sei que agora posso contar com este site !! estou grata bjuss e que permanecem assim!! :)

  3. #3 por paula emanoela .b. tavares em 18/09/2013 - 17:01

    achei bastante bacana este saite

  4. #4 por paula emanoela .b. tavares em 18/09/2013 - 17:03

    legal gostei muito desse site as respostas sao legais vo tira 5,00 no trabalho por que tenho confiança em mim e neste site

  5. #5 por Anônimo em 21/11/2013 - 18:00

    eu to vazendo um trabalho na escola sobre as emportacia afro-brasileiras voi soteada para culinaria e escolhi esse saite porque sao bem ]][]]]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: